sexta-feira, 29 de outubro de 2010

PORTUGUÊS 5º ANO 33 ... (MAIS) SUJEITO E PREDICADO...

TIPOS DE SUJEITO...
 SUJEITOS SIMPLES (claro/oculto), COMPOSTO, INDETERMINADO, INEXISTENTE (oração sem sujeito),
A. SUJEITO SIMPLES (claro ou oculto)
Vamos continuar nosso estudo sobre o sujeito. Observe o sujeito das orações abaixo:
1.              Crianças passeiam no parque.
2.         As crianças passeiam no parque.
3.              Crianças alegres passeiam no parque.
4.   Muitas crianças alegres passeiam no parque.
Se fizermos a pergunta ao verbo quem passeia no parque? Vamos encontrar como resposta:
  1. crianças    2.As crianças   3.Crianças alegres    4. Muitas crianças alegres
Encontramos o sujeito de cada uma delas.
Sujeito simples é aquele que apresenta apenas um núcleo.
SUJEITO INDETERMINADO
Observe as orações abaixo:
- Mataram uma moça! comentava-se dentro dos bares.
“Investigou-se o caso…”(Ester 2:22)
“Ouviu-se um clamor em Ramá…” (Mateus 2:18)
Nos exemplos dados, sabe-se que o fato expresso se refere a alguém. Mas não é possível determinar exatamente quem matou, comentou, investigou, ouviu. Conclui-se que:
O sujeito indeterminado existe mas não pode ser identificado na oração.
SUJEITO COMPOSTO
Observe a oração:
“Nesse mesmo dia entraram na arca Noé, seus filhos Sem, Cão e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos.” (Gên. 7:13)
Façamos a pergunta ao verbo: quem entrou? Resposta: Noé, seus filhos Sem, Cão e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos.
A resposta nos apresenta várias palavras que funcionam como núcleo do sujeito, isto é, que tem peso significativo igual, dentro desta função – Noé, Sem, Cão, Jafé, mulher (de Noé), mulheres (noras de Noé). Estamos diante de um sujeito que possui mais de um núcleo – é o sujeito composto. Concluímos então que:
Sujeito composto apresenta mais de um núcleo.
SUJEITO INEXISTENTE (ou oração sem sujeito)
É possível existir oração onde o que se declara não é atribuído a nenhum ser, pessoa ou coisa. Como isso é possível? Ora, existem fatos expressos em alguma orações que não são atribuídos a nenhuma pessoa ou a nenhum ser. Veja:
1. com o verbo HAVER com sentido de existir, acontecer.
“E houve copiosa chuva sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites.” (Gên. 7:12)
Havia fome, naquela terra…” (Gên. 12:10)
“… e tempo para todo propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1)
2. com verbos que exprimem fenômenos da natureza.
Trovejou durante a noite.
Choveu muito.
anoiteceu.
3. com os verbos HAVER, FAZER, SER, ESTAR indicando tempo.
Faz três dias que cheguei.
Era meia-noite.
muito tempo não o vejo.
Está frio.
É fácil distinguir o sujeito indeterminado do sujeito inexistente: numa oração onde o sujeito é indeterminado, fala-se de alguém ou de algo, embora não se consiga fixar de quem ou de quê se afirma algo. Numa oração sem sujeito (inexistente) a declaração feita não se refere a nada, nem a ninguém.
Alguém poderia argumentar que se pode dizer: o trovão trovejou; a chuva choveu ou a noite anoiteceu, mas isso seria redundância grosseira, pois o trovão, a chuva e a noite nada mais são que o resultado da ação desses verbos indicativos de fenômenos naturais e no uso desses verbos não cabe um executor da ação.
Vamos exercitar.
A. Separe o sujeito do predicado; classifique o sujeito em simples, composto, indeterminado ou inexistente; e indique o seu núcleo:
1. Todos nós acordamos.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
2. Aquele carro azul anda?
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
3. Você e eu sairemos já.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
4. O cavalo e a égua relincham.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
5. Ana e a irmã dela viajaram.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
6. Não partiremos hoje.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
7. Uns garotos sujaram a calçada.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
8. Quebraram a vidraça.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
9. Ana a Ari viajaram cedo.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
10. Puseram sal na sopa?
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
11. Come-se mal, aqui.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
12. Não vendemos jornais velhos.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
13. Essa garota e aquele rapaz falam muito.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
14. Professor, riscaram meu livro.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
15. Amanheceu.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
16. Está frio, hoje.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
17. São seis horas da manhã.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
18. Estava quente dentro da sala.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
19. Há muita gente aqui.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
20. Ninguém resolve nada.
Sujeito ________________: ___________________
núcleo do sujeito: ___________________________
Predicado:
RESPOSTAS:

1. Todos nós acordamos.
Sujeito simples: todos nós  ( também chamado de lógico e agente)
núcleo do sujeito: nós ( também chamado de sujeito gramatical)
Predicado: acordamos
2. Aquele carro azul anda?
Sujeito simples: aquele carro azul (também chamado de lógico e agente)
núcleo do sujeito: carro (também chamado de gramatical)
Predicado: anda
3. Você e eu sairemos já.
Sujeito composto: você e eu (também chamado de lógico e agente)
núcleo do sujeito: você, eu (também chamado de gramatical)
Predicado: sairemos já.
4. O cavalo e a égua relincham.
Sujeito composto: o cavalo e a égua (também chamado de lógico e agente)
núcleo do sujeito: cavalo, égua (também chamado de gramatical)
Predicado: relincham
5. Ana e a irmã dela viajaram.
Sujeito composto: Ana e a irmã dela (também chamado de lógico e agente)
núcleo do sujeito: Ana, irmã (sujeito gramatical)
Predicado: viajaram
6. Não partiremos hoje.
Sujeito simples: (nós) (também conhecido como oculto ou subentendido)
núcleo do sujeito: neste caso não existe núcleo do sujeito
Predicado: não partiremos hoje
7. Uns garotos sujaram a calçada.
Sujeito simples: uns garotos (também chamado lógico e agente)
núcleo do sujeito: garotos (sujeito gramatical)
Predicado: sujaram a calçada
8. Quebraram a vidraça.
Sujeito indeterminado: (não se pode dizer quem quebrou a vidraça)
núcleo do sujeito: (quando o sujeito é indeterminado não existe núcleo)
Predicado: quebraram a vidraça
9. Ana a Ari viajaram cedo.
Sujeito composto: Ana e Ari (também conhecido como lógico e agente)
núcleo do sujeito: Ana, Ari (sujeito gramatical)
Predicado: viajaram cedo
10. Puseram sal na sopa?
Sujeito indeterminado:
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: puseram sal na sopa?
11. Come-se mal, aqui.
Sujeito indeterminado:
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: come-se mal aqui
12. Não vendemos jornais velhos.
Sujeito simples oculto ou subentendido: (nós)
núcleo do sujeito: neste caso ano existe
Predicado: não vendemos jornais velhos
13. Essa garota e aquele rapaz falam muito.
Sujeito composto: essa garota e aquele rapaz (lógico e agente)
núcleo do sujeito: garota, rapaz (sujeito gramatical)
Predicado: falam muito
14. Professor, riscaram meu livro.
Sujeito indeterminado:
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: professor, riscaram meu livro
15. Amanheceu.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
núcleo do sujeito: (se a oração ano tem sujeito ano pode haver núcleo)
Predicado: amanheceu
16. Está frio, hoje.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
núcleo do sujeito: ( não tem)
Predicado: está frio, hoje
17. São seis horas da manhã.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: são seis horas da manhã
18. Estava quente dentro da sala.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: estava quente dentro da sala
19. Há muita gente aqui.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
núcleo do sujeito: (não tem)
Predicado: há muita gente aqui
20. Ninguém resolve nada.
Sujeito simples: ninguém (também chamado lógico e agente)
núcleo do sujeito: ninguém (também chamado gramatical)
Predicado: resolve nada

2 comentários: